A Implantação da coleta seletiva pode ser feita em empresas, em condomínios e em municípios do interior. A solução para os resíduos requer a implantação de sistemas de coleta de resíduos sólidos previamente segregados. Para ter sucesso na implantação de um projeto de coleta seletiva é importante ter planejamento, verificar e promover parcerias com fornecedores para reaproveitamento dos resíduos. A coleta seletiva é o recolhimento dos resíduos orgânicos e inorgânicos, secos ou úmidos, recicláveis e não recicláveis que são previamente separados na fonte geradora, recolhidos e levados para o reaproveitamento dos recicláveis e dos orgânicos e o descarte dos rejeitos. A coleta seletiva é uma alternativa para minimizar o impacto da produção maciça de lixo que é jogado na natureza, uma vez que alguns materiais levam muito tempo para se degradar. As formas mais comuns de coleta seletiva hoje existentes no Brasil são:

a) coleta porta-a-porta realizada pelo prestador do serviço público de limpeza;

b) entrega em Pontos de Entrega Voluntária (PEV);

c) coleta por associações ou cooperativas de catadores de materiais recicláveis.

d) coleta e segregação dos resíduos orgânicos para a produção de compostagem, que poderá ser utilizada na produção de mudas para arborização, produção de hortas caseiras e incentivo a agricultura orgânica.

Coleta seletiva é a coleta diferenciada de resíduos que foram previamente separados segundo a sua constituição ou composição. Ou seja, resíduos com características similares são selecionados pelo gerador (que pode ser o cidadão, uma empresa ou outra instituição) e disponibilizados para a coleta separadamente. A legislação distingue resíduos sólidos de rejeito, que são os resíduos sem viabilidade técnica ou econômica para reaproveitamento ou reciclagem. Apenas os rejeitos devem receber disposição final ambientalmente adequado em aterro sanitário. A coleta seletiva requer a segregação dos resíduos na fonte, é instrumento fundamental para minimizar os rejeitos aterrados e promover o máximo reaproveitamento e reciclagem. De acordo com a legislação, prioritariamente os municípios devem incluir a participação de cooperativas ou outras formas de associação de catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis formadas por pessoas físicas de baixa renda.

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, a implantação da coleta seletiva é obrigação dos municípios e metas referentes à coleta seletiva fazem parte do conteúdo mínimo que deve constar nos planos de gestão integrada de resíduos sólidos dos municípios. Todos os municípios devem implantar a disposição final ambientalmente adequada de rejeitos e promover o máximo reaproveitamento e reciclagem dos resíduos. Nós recomendamos a coleta seletiva que incentiva a segregação dos resíduos domiciliares em três tipologias: recicláveis, orgânicos e rejeitos. Aproximadamente 31,9% é material reciclável, como metais, papel, plástico e vidro, 51,4% matéria orgânica e 16,7% outros materiais (IBGE, 2010; IPEA 2012). A compostagem é a forma ambientalmente adequada para destinação dos resíduos orgânicos. A disposição final segura ficaria então apenas para a menor fração dos resíduos gerados, o que diminuiria o impacto ambiental e aumentaria a vida útil dos aterros sanitários.

A implantação da coleta seletiva é trabalhada em conjunto com diversas secretarias da administração municipal, a participação da sociedade e o envolvimento de cooperativas e associações de catadores, num processo continuo e progressivo, onde são definidas as estratégias para um modelo que contemple as diversidades e especificidades de cada município, trabalhando aspectos técnicos, educacionais e jurídicos para uma coleta seletiva adequada à Politica Nacional dos Resíduos Sólidos, além de realizar um diagnóstico operacional e um monitoramento dos resultados da coleta seletiva. A implantação da coleta seletiva envolve toda a cidade em uma mudança de hábitos. Enquanto serviço público essencial, de sua competência, cabe à administração do Município promover essas mudanças e perpetuar os resultados obtidos.

Nossa equipe sediada em Manaus, no Amazonas, presta assessoria para a implantação da coleta seletiva e por isso, poderá trabalhar a implantação dela em seu município ou empresa. Por favor, entre em contato conosco através do site.