Mercado de Carbono, Crédito de Carbono e Commodities

Existem vários conceitos sobre o Mercado de Carbono, o Crédito de Carbono, pode ser definido como Commodities, mercadorias negociáveis cujos preços são ditados pelo mercado internacional, por isso, estão sujeitas a variação de preço. Uma tonelada de dióxido de Carbono (CO²) que for evitada de ser lançada na atmosfera equivale a um Crédito de Carbono, assim, para os outros gases é estimada a medida a partir da equivalência de carbono para quantificação dos créditos. Um crédito representa uma tonelada de carbono que deixou de ser emitida para a atmosfera e passou a ser moeda utilizada no mercado de carbono. Atualmente empresas oferecem os créditos de carbono, como é o caso da European Climate Exchange e da Sustainable Carbon. Esta última oferece a compensação de emissões através de Créditos de Carbono Premium. provenientes de mais de 40 projetos socioambientais desenvolvidos em vários países. Assim, empresas que diminuem suas emissões para a atmosfera ontem essa mercadoria, em forma de Crédito de Carbono, podendo vende-la no mercado financeiro.

O efeito estufa e o aquecimento global

O efeito estufa é um processo natural cujo efeito é similar ao que acontece no interior de uma estufa, quando submetida a radiação solar. Esse processo de aquecimento da terra teve inicio com a revolução industrial do inicio do século XVIII e XIX. O processo fabril deixou de ser manual, lento e em pequena escala, passando a ser produzido em máquinas em grande escala a partir de processos industriais. Com o tempo e a industrialização dos processos, aumentaram grandemente as emissões de gases poluentes lançados para a atmosfera resultando no efeito estufa contribuindo para “aquecimento global”. Os gases emitidos são provenientes dos escapamentos dos veículos automotores movidos a diesel e gasolina, de processos industriais, proveniente da queima de florestas e de madeiras em desmatamentos, pelos gases emitidos pela pecuária de grande porte, sendo estes os principais geradores destes gases. Os tipos de gases são variados, mas os principais que contribuem para o aquecimento global são: o dióxido de carbono (CO²), o gás metano (CH4), o óxido nitroso (N²O), o hexafluoreto de enxofre, o CFC (Clorofluorcarboneto) e os PFC, também chamados de perfluorcarbonetos.  Estes gases são emitidos diariamente e vão para a atmosfera. O órgão responsável pela divulgação dos dados sobre as mudanças climáticas é o IPCC – Painel Internacional sobre Mudanças Climáticas.

Conseqüências geradas pelo Aquecimento Global

As conseqüências ao meio ambiente geradas pelo aquecimento global são várias, sendo as mais significativas o derretimento das calotas polares, a perda ou diminuição da biodiversidade e o aumento de patologias em função das mudanças no clima e na temperatura. Outros efeitos causados pelo aumento da temperatura é a diminuição das florestas, uma vez que as florestas desempenham o papel de amenizar as temperaturas e regular o clima e a umidade. A floresta também desempenha importante papel por absorver gás carbônico, o chamado “seqüestro de carbono”. Diante desse quadro de mudança no clima, autoridades do mundo inteiro se reuniram para encontrar solução no sentido de eliminar ou reduzir as emissões. Nesse processo entra o chamado “Crédito de Carbono”. O que é esse Crédito de Carbono?

Quem compra e quem vende Crédito de Carbono?

As empresas dos países signatários do protocolo de Kioto e Recentemente pelo Acordo de Paris assumiram o compromisso de reduzir as suas emissões de gases. Mas as empresas que não alcançarem a meta de redução ou que tiveram excedente de emissões devem comprar os créditos de Carbono para compensar a sua não redução ou excedente, compra os créditos, ou seja, paga pelo excedente. As empresas que reduziram suas emissões vendem o crédito excedente, aumentando seus lucros. O crédito de carbono é uma alternativa para as emissões inevitáveis geradas por indivíduos e empresas. A compra dos créditos de carbono garante a neutralização das emissões. No entanto, a metodologia para a regulação do comercio precisa ser definida pelos países signatários.

Formas de Compensação das emissões de gases ou de Neutralização de Carbono

Para fazer a compensação das emissões de gases corporativas ou de sua empresa, você ter ciência da quantidade de dióxido de carbono que é emitida e que deverá ser compensada. O procedimento que objetiva quantificar as emissões, é chamado de Inventário de Carbono. O Inventário de Emissões constitui um protocolo de procedimentos para o levantamento de dados que vai quantificar o total de emissões anual que é lançada na atmosfera pela empresa. Esse total vai corresponder a um quantitativo de créditos de carbono, que ela precisará para fazer a compensação de suas emissões a cada ano. Existem diversas maneiras de gerar créditos de carbono, de fazer a compensação ou a neutralização de Carbono, entre as quais cita-se o plantio de árvores que é a forma mais comum e barata, além do seqüestro de carbono, o reflorestamento e conservação de florestas trazem diversos outros benefícios para o solo, água, biodiversidade, entre outros. Promover a substituição de combustíveis fósseis por energia limpa (eólica, solar, de biogás, etc), assim empresas, e indústrias podem deixar de usar biomassa não renovável por renováveis ou passarem a emitirem menos gases para a atmosfera. A técnica de captura e armazenamento de carbono a chamada – CCS (Carbon Capture and Storage) pode ser a única opção para alcançar reduções significativas de carbono gerado pelo uso de combustíveis fósseis.

Por que fazer o Inventário de Emissões de gases?

A cada dia surge a necessidade das empresas produzirem mais e poluírem menos, como forma de garantir qualidade de vida às pessoas e ao meio ambiente. Empresas por exemplo, passam a ter mais valor quando adotam políticas ambientais. Empresas que fazem o Inventário das emissões de gases anual no mercado internacional têm muitas oportunidades, tais como, aumento da competitividade, redução de custos operacionais, adoção e alinhamento de melhores práticas, goza de reputação e eficiência, são vistas como corporações inovadoras, sustentáveis, assumem posição estratégica no mercado internacional, valorizando sua marca, seu produto e conquistando uma posição no mercado internacional.

Se você gostou deste post deixe seu Like e compartilhe. Autor: Reynier Omena Junior, biólogo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhar